30 de set de 2011

A mediunidade evolui?

evolução da mediunidadeOlá todos!

Coloco hoje para leitura e considerações de todos um texto extraído do livro de Ramatis, Mediunidade, disponibilizado hoje pela Editora Conhecimento, sobre a evolução da mediunidade.

Como não poderia deixar de ser, Ramatis nos fala que a evolução da mediunidade está atrelada a evolução do espírito. Da mesma forma que a fenomênica mediúnica também está atrelada à esta evolução. Quanto mais evoluído o espírito menos "física" será a modalidade mediúnica desempenhada por ele.

Trazendo essa afirmativa para nossa realizada dentro dos centros de Umbanda vimos que cada vez mais, com a evolução espiritual e também com o estudo e aprendizado da "doutrina" umbandista e espírita percebemos que mesmo a mediunidade de incorporação está cada mais mais mental e menos física. Isso certamente não faz do médium menos preparado ou menos capacitado em receber as comunicações dos nossos irmãos do lado de lá do que outro com maior influência física durante a mesma.

Reflitamos um pouco mais sobre esse assunto.

Abraços fraternos e boa leitura.

========================================================

PERGUNTA: A mediunidade evolui?

RAMATIS: — Tanto quanto evolui o psiquismo dohomem, pois ela é correlata com o seu progresso e a sua evo­lução espiritual. Mas é necessário distinguir que o padrão evolutivo da mediunidade não deve ser aferido pela produção mais ostensiva dos fenômenos incomuns do mundo material. Assim é que o médium de fenômenos físicos, embora possa produzir uma fenomenologia espetacular e surpreendente aos sentidos carnais, nem por isso sobrepõe-se ao médium altamente intuitivo, como fruto de elevado grau espiritual do homem. Enquanto os fenômenos físicos depen­dem fundamentalmente da maior ou menor cota de ectoplasma produzido pelo médium, a fim de permitir a mate­rialização dos desencarnados no cenário físico, o médium intuitivo e de alto nível espiritual também é capaz de transmitir mensagens que ultrapassam a craveira comum da vida humana.

Embora não surpreenda nem satisfaça os sentidos físicos com suas comunicações de caráter puramente espiritual, ele pode traçar roteiros definitivos para o progresso sideral dos homens. No primeiro caso, a mediunidade de fenômenos físi­cos se manifesta espetacular ao operar no mundo das formas, mas é acontecimento transitório que, embora a muitos conven­ça da realidade espiritual, nem sempre os converte para o reino amoroso do Cristo. No caso da intuição pura e elevada, o ser descortina a realidade crística dos planos superiores, despreo­cupado de provar se a alma é imortal, pois"sente" em si mesmo que a sua ventura lhe acena além das formas perecíveis domundo fenomênico da matéria.

A mediunidade de Francisco de Assis era para si mesmoa faculdade divina que o fazia vislumbrar a paisagem do mundo angélico de Jesus, sem necessidade de qualquer demonstração espetacular e fenomênica de materializações, levitações ou voz direta dos desencarnados. Em conseqüên­cia, a mediunidade intuitiva, ou mais propriamente a "mediunidade espiritual", é faculdade superior a qualquer outra mediunidade que ainda dependa da fenomenologia domundo terreno e transitório, para então provar-se a realida­de do espírito imortal.

Embora seja louvável a preocupação dos estudiosos do Espiritismo com a maior produção de fenômenos mediúni­cos destinados a convencer as criaturas sistematicamente incrédulas, a mais evoluída mediunidade ainda é a Intuição Pura, porque auxilia o homem a relacionar-se diretamente com a fonte real de sua origem divina.

[notice]Fonte: Livro Mediunismo - Editora do Conhecimento por Ramatis pela psicografia de Hercílio Maes[/notice]